Condições Adversas do motorista estado físico

Imprimir
E-mail

Categoria: Direção defensiva

 ESTADO FÍSICO E MENTAL

Muito importante também para a prevenção de acidentes é o fator motorista.

O condutor deve estar em plenas condições físicas, mentais e psicológicas para dirigir.

Art. 166 CTB - Confiar ou entregar a direção de veículo a pessoa que, mesmo habilitada, por seu estado físico ou psíquico, não estiver em condições de dirigí-lo com segurança:

Infração - gravíssima;    Penalidade - multa de R$ 191,54.

O motorista do veículo é o principal responsável pela sua segurança e a de terceiros, sendo o único que pode realmente evitar situações de perigo ou inseguras.

Dirigir sem condições físicas ou emocionais, põe em risco não só a sua vida, mas a de todos os usuários das vias.

São várias as condições adversas que podem afetar o comportamento de um motorista, sendo as mais comuns:

►    Condições físicas - Fadiga (cansaço), dirigir alcoolizado, sono, pressa, fome, drogas, visão ou audição deficiente, perturbações físicas (dores e doenças).

►    Condições Mentais - Estados emocionais (tristezas ou alegrias), preocupações, medo, insegurança.

O motorista deve garantir a quantidade adequada de repouso antes de viajar.

Um planejamento adequado pode ajudar a distribuir os períodos de repouso e de direção.

Quando começar a sentir cansaço, o ideal é o motorista interromper a viagem em local seguro para relaxar e dormir se necessário.

Periodicamente, faça exames para prevenir problemas de visão ou audição, siga sempre as orientações médicas. Evite dirigir, se sentir que está nervoso, confie a direção a um amigo ou a outra pessoa devidamente habilitada.

Cabe ao motorista avaliar suas reais condições ao se propor a dirigir um veículo, e ter o bom senso necessário para evitar envolver-se em situação de risco.

 

INGESTÃO DE SUBSTÂNCIAS TÓXICAS OU REMÉDIOS

Alguns remédios usados, mesmo por recomendação médica, alteram nosso estado geral, prejudicando nosso desempenho ao volante. Evite tomá-los, ou não dirigir após o seu uso.

Ao tomar algum tipo de remédio para manter-se acordado, o motorista impede o "desligamento" por algumas horas, mas a necessidade de sono do cérebro continua aumentando.

Passado o efeito da droga, o cérebro manifesta rapidamente sua necessidade acumulada, e o motorista pode adormecer com mais facilidade (rapidamente).

Planeje melhor o tempo ao volante e o tempo de descanso, evitando totalmente o uso de drogas. As drogas servem apenas para adiar uma necessidade do organismo, podendo causar acidentes de graves consequências quando passado o efeito. Além disso, o risco de dependência é bastante alto, o que é altamente prejudicial.

Dirigir sob efeitos de substâncias tóxicas ou determinados remédios é muito perigoso para si mesmo e para os outros.

Lembre-se que para o sono só tem uma solução - DORMIR.

BEBIDAS ALCOÓLICAS


Excessos no consumo de álcool ainda é uma das principais causas responsáveis por acidentes nas vias de nosso País.

Dependendo da quantidade ingerida, o álcool causa inicialmente um estímulo no cérebro, associado a uma sensação de alegria, de confiança e de força, quando na direção de um veículo ele leva ao excesso de velocidade, à manobras para exibir perícia e à confiança excessiva em si mesmo, no veículo, na via, etc.

Dependendo da quantidade de bebida ingerida, o cérebro começa perder a capacidade de resposta e coordenação, tirando e retardando as reações do condutor ao volante.

Nas fases mais avançadas de embriaguez, o motorista já não percebe o que se passa ao seu redor, perdendo a noção de distâncias e direções, como também o controle dos seus movimentos.

Como regra geral jamais dirija após ter ingerido bebidas alcoólicas, pois em cada três condutores mortos em acidentes, um está sob o efeito do álcool. Saiba ainda que nos finais de semana dobra o número de vítimas fatais alcoolizadas.

O organismo demora algum tempo para eliminar o álcool ingerido e o tempo necessário para a eliminação do álcool pode variar de pessoa para pessoa. A Lei em vigor rege que é proibido o consumo de bebidas alcoólicas quando for dirigir.

Ano após ano, 50% de todas as mortes em acidentes de trânsito são devido à incapacidade causada pelo álcool.

Não seja passageiro de ninguém que tenha bebido mesmo que só um pouco. Mesmo doses pequenas podem comprometer a habilidade do condutor, o condutor embriagado apresenta as pupilas totalmente dilatadas e os olhos em geral estão mais sensíveis à luz, mãos e pernas trêmulas (frias).

Tomar café forte sem açúcar, banho frio ou remédios e chás caseiros na tentativa de diminuir os efeitos do álcool no organismo, não adianta. Essas ações conseguem apenas transformar um bêbado com sono num bêbado acordado.

 Se beber, tomar remédio ou fazer uso de qualquer tipo de droga, não dirija. Procure um meio alternativo como transporte coletivo, táxi, carona ou espere passar o efeito do produto ingerido.

Tenha cuidado, não arrisque sua vida!

Art. 165 CTB - Dirigir sob a influência de álcool ou de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência: (Redação dada pela Lei n° 11.705, de 2008)

Infração - gravíssima;

Penalidade - multa de R$ 957,70 e suspensão do direito de dirigir por 12 (doze) meses;

Medida administrativa - retenção do veículo até a apresentação de condutor habilitado e recolhimento do documento de habilitação.

Condições das estradas

Newsletter

Nome:
Email:
Lista:
Autoescola Capra

Mais Pesquisados

Travessia das Balsas


DERSA